Rede Feminina de Combate ao Câncer - João Pessoa - Paraíba

Musicoterapia

Clique na foto para abrir a galeria ampliada

Cantando a alegria de viver...

Sandra Maria de Andrade Araújo é professora e psicóloga, e há três anos doa parte do seu talento para cantar e tocar, acolhendo os internos que chegam todas as segundas, na Casa de Apoio. Ela fala da importância de trabalhar com a música neste ambiente, porque reconhece o seu potencial que, onde chega, consegue levar alegria, conforto e esperança aos corações. “Às vezes as palavras são difíceis de ser proferidas, mas a música não, aonde ela chega emociona, faz chorar, mas também vai harmonizando o interior das pessoas.”

Essa é a experiência que a voluntária Sandra vivencia ao longo dos anos ao lado dos pacientes. Ela fala de como aprendeu com a determinação destas pessoas que, muitas vezes, transmitem alegria, confiança e repassam tanta força quanto recebem.

Ela relata que passou a ver a vida de uma maneira mais leve, valorizando a máxima de que o dia de hoje é o mais importante, dia de fazer o bem. Nas segundas feiras, Sandra recebe os pacientes que retornaram do final de semana, ainda saudosos e abatidos pela distância da família. Sandra é Coordenadora da Casa de Apoio e serve com todo o carinho e atenção através desta atividade. Participa também das visitas às enfermarias, cantando e promovendo instantes de descontração aos enfermos internados.

A paciente Margarida Félix, que participou do primeiro momento musical ao lado do grupo acolhido na Casa de Apoio para tratamento, expressou sua alegria em estar naquele instante considerado tão especial para ela. “Os maus pensamentos vão embora. Quando me perguntaram em casa como eu estava, disse que me sinto com se não houvesse doença em mim. Eu falo que estou muito bem!”. Entre uma música e outra, Sandra promove o diálogo entre eles. José Cassiano, um dos pacientes, apresentou a letra da música que queria cantar e, acompanhado pelos acordes do violão da voluntária, cantou “As canções que você fez pra mim”, de Roberto Carlos, e levou todos a se emocionarem com aquele instante de inspiração e entrega.

Sandra traz no repertório músicas religiosas, românticas, com mensagens de paz, esperança e alegria.

“A música que trago tem que tocar primeiro a minha alma. Aí eu sinto que vai levar a mensagem que desejo”.

A voluntária se alegra pela reposta que recebe diariamente pelo trabalho que realiza.